Cadastre-se | Login

Entrevistas

Conversa com Thiago Lobo sobre o projeto de lei 5.534/2009

Entenda o PL: De autoria do deputado José Mentor (PT-SP) o tem o objetivo de vedar a transmissão de lutas marciais não olímpicas pelas emissoras de televisão. Porém, prevê que as lutas não violentas, poderão ser vinculadas, desde que essa condição seja previamente atestada. Em sua justificativa o deputado argumenta que “em alguns programas, transmitem lutas que chegam a levar à lesão permanente, ou até mesmo, à morte em determinados campeonatos internacionais ou nacionais e que o projeto tem por finalidade resguardar que crianças, adolescentes e até mesmo adultos vejam cenas de violência explícitas e voluntárias com o fito de saciar a sana de alguns, quase sempre em busca de fama e dinheiro fácil”.

 
O projeto tramita na Câmara e já passou por duas comissões temáticas e audiência pública, sendo que na Comissão de Turismo e Desporto o projeto foi rejeitado e no relatório consta o seguinte "A despeito da pureza de pensamentos do autor [deputado José Mentor] é de nosso entendimento que maior violência seria praticada, se esse parlamento se pusesse a legislar restringindo a Liberdade de Expressão e de Manifestação do Pensamento".
Já na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática o projeto de lei foi aprovado, mas com substitutivo. Nele, a comissão optou por “restrições à transmissão de lutas marciais não olímpicas nas emissoras de televisão...obedecerá a regulamentação específica a ser editada pelo Poder Executivo.”
 
Thiago Lobo, o projeto de lei 5.534/2009 do deputado José Mentor (PT-SP) tem o objetivo de vedar a transmissão de lutas marciais não olímpicas pelas emissoras de televisão e causou muita polêmica no meio do mundo das lutas. Qual sua opinião sobre o projeto?
Deslealdade é isso que querem fazer, se utilizar de artimanhas políticas para proibir toda uma comunidade que está aí não só para praticar esporte porque melhora a qualidade de vida, como melhora a vida do cidadão que muitas vezes não tem o que fazer porque a política não proporciona para muitos dos cidadãos uma boa qualidade de vida, então ele não tem opção de lazer e através do esporte a gente consegue mudar a vida desse menino, fora o que ele ganha sendo uma pessoa muito mais saudável. Sou contra, vou até o fim e conto com cada um de vocês que é lutador ou que gosta de luta para não deixar isso acontecer.
 
O MMA é o esporte que mais cresce no mundo e o Brasil é um “celeiro” de atletas que são destaque no exterior e também aqui. Como exemplo Lyoto Machida que ficou na lista das 100 pessoas mais influentes do país feita revista Época em 2009. Você acredita que o autor do projeto desconhece o esporte, assim como uma parte da população? No projeto de lei, o autor diz que estão em busca de fama e dinheiro fácil. Sabemos de todo o trabalho que é realizado para um lutador chegar a um grande evento, por exemplo, você acredita que este dinheiro é realmente fácil?
Não conhece, eu tenho rodado e rodei durante muito tempo as academias e conheço bem, sou lutador também, então sei das dificuldades e de tanto esforço que é necessário para ser um lutador de verdade. Para quem não sabe o esporte é uma excelente ferramenta de inclusão social e as artes marciais principalmente. Muitas vezes a criança vai prá escola, não respeita o professor sequer respeita os pais dentro de casa, mas a partir do momento que ele entre no ring ou entra no tatame, ele obedece o mestre dele e é isso que a gente quer, uma sociedade muito mais justa. Se obedecessem as regras como nas artes marciais viveríamos numa sociedade muito melhor.
 
Deixe uma mensagem para os lutadores e apreciadores do esporte.
Eu represento o poder público e vocês representam a sociedade, vamos juntos. Podem contar comigo, hoje e sempre.