Cadastre-se | Login

Notícias

15/09/2014 - 11h46

Direita de Andrei Arlovski manda Antonio Pezão a nocaute na luta principal do UFC Fight Night 51

Fonte: MMA Brasil - Por: Alexandre Matos

Bielorrusso Andrei Arlovski, ex-campeão dos pesados do UFC, anota sua segunda vitória no retorno ao octógono mostrando mais mobilidade e técnica no boxe em relação a Antonio Pezão. Na luta coprincipal, Gleison Tibau e Piotr Hallmann disputaram batalha acirrada premiada como a melhor da noite.

Colocar dois pesos pesados no octógono é prenúncio de nocaute. Foi exatamente assim que terminou o UFC Fight Night 51, disputado na noite deste sábado no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, que recebeu 8.822 torcedores. O ex-campeão Andrei Arlovski anotou sua segunda vitória no retorno ao UFC com um violento nocaute diante de Antonio Pezão.


Andrei Arlovski fecha a conta diante de Antonio Pezão na luta principal do UFC Brasília (Foto: Getty Images)

O brasiliense começou a luta bem postado, com a guarda alta, atento, mesclando socos e chutes. Pouco a pouco, a melhor movimentação do bielorrusso equilibrou a disputa. Com o duelo na curta distância, Arlovski executou um cruzado e recebeu um chute baixo em retorno. Quando estava próximo da grade, o Pitbull avançou com dois torpedos de direita que acertaram em cheio o rosto do oponente. Pezão desabou, Arlovski executou um ground and pound rápido e o árbitro mergulhou para interromper a contenda a 2:59 do primeiro assalto.

Na coletiva de imprensa após o evento, Grace Tourinho, líder do UFC no Brasil, informou que Andrei Arlovski foi um dos ganhadores do bônus de performance da noite e levou para casa mais US$50 mil. A performance vintage de Arlovski é um sopro de esperança na rasa divisão dos pesados.

Gleison Tibau vence duelo físico contra o polonês Piotr Hallmann

Provavelmente o peso leve fisicamente mais forte do UFC, Gleison Tibau teve que encarar um encardido oponente no polonês Piotr Hallmann, oficial da Marinha de seu país e que já lutou eventos sem regras.


Gleison Tibau soca Piotr Hallmann na luta coprincipal do UFC Fight Night 51 (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

O wrestling foi a ferramenta principal de Tibau nos dois primeiros assaltos. Quedas de grande amplitude se misturaram com outras que foram executadas na base da força física, mas o potiguar não conseguiu manter o adversário por muito tempo no solo. Além disso, Gleison sufocou Hallman no clinch na grade. Por outro lado, o europeu foi melhor nos momentos em que o combate ficou na troca de golpes. Como estes aconteceram em menor quantidade nos dois primeiros rounds, Tibau saiu com um duro 20-18.

Hallmann mostrou sua bravura no terceiro round, quando causou um sangramento no brasileiro com uma joelhada no clinch. Com ótimo preparo físico, apesar da luta extremamente desgastante, o polonês tentou acelerar para nocautear, mas Tibau se recuperou e voltou com o jogo agarrado.

Na contagem do MMA Brasil, Hallmann venceu o terceiro round, mas Gleison Tibau saiu vencedor da luta por 29-28. O combate foi bonificado como o melhor da noite e os dois lutadores adicionaram US$50 mil cada às respectivas bolsas.

Jiu-jítsu salva a pele de Leo Santos contra Efrain Escudero

Foi mais difícil que o imaginado, mas o jiu-jítsu voltou a ser o diferencial do jogo de Leo Santos. Em duelo com alternâncias de domínio, o representante da Nova União saiu vencedor no retorno de Efrain Escudero ao UFC.


Leo Santos chuta Efrain Escudero no combate de vencedores do Ultimate Fighter no UFC Brasília (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

O primeiro round até deu a impressão que Santos não teria muito trabalho. Ele derrubou com facilidade e aplicou um passeio no chão. Porém, Escudero melhorou a defesa de quedas no segundo round, manteve a luta em pé, jogou Leo na lona e empatou o combate.

Confiante, o mexicano começou melhor no terceiro round, aproveitando um claro cansaço do adversário, mas deu uma brecha fundamental para que Leo chegasse primeiramente ao clinch e em seguida ao chão. O brasileiro pegou as costas de Escudero, tentou um mata-leão, bateu no ground and pound e ouviu a buzina que decretou seu segundo 10-9 da noite. Todos os juízes laterais concordaram com o 29-28 visto pelo MMA Brasil a favor de Leo Santos.

Santiago Ponzinibbio nocauteia Wendell Oliveira de modo brutal

Quase não deu para suar. Em pouco mais de um minuto, Santiago Ponzinibbio mostrou a evolução dos treinos de boxe e acabou violentamente com a estreia de Wendell Negão no UFC.

Wendell entrou no octógono muito emocionado e talvez isso tenha atrapalhado seu foco. No começo, ele até aplicou bons chutes baixos, incomodando o argentino. Porém, Negão cometeu o erro de parar diante de Ponzinibbio, que não perdoou. Santiago avançou com socos, lançou um duro gancho de esquerda e emendou uma pedrada de direita. Wendell apagou e acordou com o soco seguinte, mas o árbitro Mario Yamasaki estava bem posicionado e interrompeu corretamente o combate a 1:20.

Iuri Marajó vence Russell Doane em decisão controversa

Eventos do UFC no Brasil normalmente são envoltos em decisões controversas a favor de lutadores da casa. Desta vez o beneficiado foi Iuri Marajó, que travou árdua batalha com o havaiano Russell Doane.


Iuri Marajó venceu Russell Doane em luta de resultado polêmico em Brasília (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Iuri foi melhor no round inicial devido à sua superioridade no jiu-jítsu. O combate teve momentos de muito giro, mas as posições eram mais bem encaixadas pelo brasileiro, que chegou perto da finalização na parcial inicial com um mata-leão. Além disso, ele também aplicou potentes chutes no corpo quando o duelo esteve na troca de golpes.

A partir do segundo assalto, o paraense passou a encontrar muita dificuldade de defender as quedas de Doane. Quando a luta chegava ao chão, o havaiano mostrava habilidade, rapidez para executar as transições, mas seguia sem conseguir encaixar as posições.

No final do segundo round, o momento que transformou o resultado em polêmica. Doane tinha sido superior por praticamente quatro minutos, mas quase foi a knockdown quando Marajó apertou o ritmo no minuto final. Porém, apesar da pressão, o brasileiro não virou a parcial na opinião do MMA Brasil.

Doane teve uma sólida atuação no terceiro round, distribuindo quedas para todo lado e pressionando Iuri no chão variando socos e cotoveladas no ground and pound com algumas tentativas de finalização, principalmente um triângulo de mão. O MMA Brasil pontuou o combate em 29-28 para Russell Doane, mas os três juízes laterais marcaram vitória de Iuri Marajó pelo mesmo placar.

Jéssica Andrade passa o carro e apaga Larissa Pacheco na guilhotina

Na abertura do card principal, Jéssica Andrade não tomou o menor conhecimento da campeã do Jungle Fight Larissa Pacheco para anotar a terceira vitória consecutiva no UFC.


Jéssica Andrade passou o carro em Larissa Pacheco (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Melhor em pé, Jéssica avançou implacavelmente sobre a adversária, lançando socos em grande volume e sem deixar Larissa estabelecer seu ritmo. Quando levou o duelo para o chão, Andrade mostrou paciência para trabalhar o posicionamento, batendo no ground and pound enquanto aguardava uma brecha. Quando esta apareceu, a lutadora da PRVT encaixou uma guilhotina por cima que fez Larissa apagar na marca de 4:33 da primeira parcial.